POEMA DE Ricardo Carvalho Calero

Reproduzia aqui a minha cara Isabel Rei Samartim um extraordinário poema do Ricardo Carvalho Calero, do seu livro Reticências. Um dos meus poemas favoritos. Sinceramente, há mais poesia neste texto do que em quase toda a sobrevalorizada poesia galega, de ontem e de hoje. Sinceramente.

Somos os pacifistas,
que andamos dando guerra.

Somos as feministas,
que vestimos de home.

Somos os poetas eróticos,
impotentes no tálamo nupcial.

Somos os sacerdotes,
que nom cremos em Deus.

Somos os comunistas,
mui zelosos da nossa propriedade privada.

Somos os homes – e as mulheres -. Inumanos,
como cumpre à nossa humana condiçom.

Se os nossos nomes e as nossas condutas
nom foram como som contradiçom,
só seríamos sombras.

Mas somos realidades, e por isso
somos assi, contrários do que somos.

Ricardo Carvalho Calero, Reticências… (1986-89)

Please follow and like us:
error