produção de café nos Açores

Delta vai apoiar até 500 produtores de café nos Açores nos próximos 15 anos

Lisboa, 15 mai 2019 (Lusa) – O grupo Nabeiro – Delta Cafés vai apoiar até 500 produtores de café na Região Autónoma dos Açores nos próximos 15 anos, disse hoje o administrador Rui Miguel Nabeiro, que apresentou a primeira cápsula “100% biodegradável”.

“O objetivo é em 15 anos ter apoiado 500 produtores de café” nos Açores, disse aos jornalistas o gestor, à margem da apresentação da estratégia global de sustentabilidade do Grupo Nabeiro – Delta Cafés, na Estufa Fria, em Lisboa, numa cerimónia que contou com as presenças do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira.

Rui Miguel Nabeiro afirmou que atualmente os Açores produzem cerca de nove toneladas de café, “o que é muito pouco”, mas garantiu que “é possível fazer produção em massa”, embora se tenha escusado a adiantar um prazo para comercialização do café, bem como a quantidade exigida.

“A Delta não irá consumir só café dos Açores”, porque a produção nunca será suficiente para suprir as necessidades do grupo, disse.

Os Açores passam, assim, a ser a primeira produção de café na Europa.

O administrador referiu que “todas as ilhas” açorianas têm capacidade de produção de café.

Relativamente à comercialização das cápsulas 100% biodegradáveis, concebidas à base de milho, cana de açúcar e mandioca, esta acontecerá no segundo semestre deste ano.

Estas cápsulas “têm validade de 90 dias” e não contêm plástico, alumínio e microplástico, de acordo com o administrador.

Questionado sobre o investimento na conceção destas cápsulas – que são produzidas pela GNL (Grupo Champalimaud) -, Rui Miguel Nabeiro não avançou números.

“Hoje a inovação valerá entre 6% a 7% da nossa faturação. É o motor do nosso crescimento, a sustentabilidade faz parte de quem nós somos”, salientou.

O administrador refere que a aposta nesta cápsula “não é um ato isolado”, mas antes faz parte de um conjunto de iniciativas que “visam a preservação do planeta”.

Atualmente, 20% da frota comercial do grupo “já é elétrica”, sendo que em Lisboa é totalmente elétrica.

No total, o grupo tem agora 101 viaturas elétricas em todo o país, esperando em 2025 ter toda a frota comercial (cerca de 500 viaturas) elétrica.

O grupo também tem a aposta em ter todas as delegações comerciais com painéis solares para autoconsumo até 2025.

A Delta apresentou ainda uma parceria com a ‘startup’ NÃM, do belga Natan Jacquemin, considerado um “exemplo de economia circular”, que produz cogumelos utilizando as borras de café.

ALU // CSJ

Lusa/Fim

Please follow and like us:
error