novo líder PSD Açores

Ler, tomar notas, fazer contas e refletir.

Paulo Moniz to Açores Global

Em relação à vitória de Alexandre Gaudêncio nas eleições internas do PSD-Açores, um ligeiro apontamento para perspectivar as coisas em termos de números.

1. dos cerca de 11 000 militantes (tanto quanto o partido saiba), votaram 2 820 – três em cada quatro não votou;

2. nas últimas eleições internas tinham sido 1 513, daí o aumento anunciado de 53,8% de votantes;

3. A. Gaudêncio ganha com 1 716 votos – 16% de representatividade do partido; P. N. Cabral perde com 1058 votos. A abstenção rondou os 75%.

Se três em cada quatro não votou (seja a causa qual for), que representatividade, confiança e revalidação têm os militantes do partido no projecto e na pessoa vencedora? Isso, pensando no projecto seguinte que é a luta contra o PS-Açores na eleição do próximo Governo Regional.

Há aqui muito trabalho para convencer 228 160 eleitores açorianos a votar em Gaudêncio; ou estarão as próximas eleições regionais repletas de votos de protesto em Cordeiro?

Seria também interessante, já que foi anunciado pelo agora vencedor o objectivo de dinamizar o órgão do partido “Mulheres Social Democratas”, saber quantos desses votos são de mulheres.

Que representatividade e responsabilidade têm as mulheres no partido, e na vida política regional, que não apenas um simples cumprir da lei da paridade?

Please follow and like us:
error