3 thoughts on “>Galiza Ceibe, Galiza livre”

  1. >Srª Isabel Rei:

    Concordo com o seu comentário.

    De facto é inaceitável que uma nação como a Galiza esteja impedida por Espanha em participar na CPLP como membro de pleno direito ou mesmo que seja proibido falar e ensinar português naquele território.

    Por aqui se vê que ainda na Europa Ocidental – em pleno século XXI – ainda há falta de liberdade de expressão e de organização de vários povos, minorias e territórios.

    Por aqui se vê a intolerância de Castela e até da própria casa real espanhola, dominada pelos Bourbons.

    Arrepia-me quando oiço e leio algumas luminárias de Lisboa – dos negócios, da banca, da política e das universidades – os quais preconizam a integração de Portugal numa eventual «federação ibérica».

    O Estado Português não mexe uma palha para advertir esses abencerragens , mas são muito capazes de processar açorianos se estes reunirem em número superior a dois para defenderem a «independência» dos Açores.

    É assim que vemos «Portugal» a partir dos Açores.

    Quanto ao mesmo combate – Açores e Galiza -eu referia-me a um contexto meramente politico e que tem como objectivo a defesa dos nossos direitos históricos, culturais e até políticos como povos que tem a sua própria identidade.

  2. >O mesmo não, que os Açores estão reconhecidos oficialmente como país lusófono, porém a Galiza continua oficialmente a ser uma região da Espanha onde não se fala português.

    Assim deveram pensar na CPLP quando impediram o acesso dos galegos, em julho de 2011.

Os comentários estão fechados.